Seja bem-vindo ao Madelyn Cline Brasil, sua maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Madelyn Cline. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Somos um fã site não-oficial, sem fins lucrativos e não possuimos qualquer ligação com Madelyn Cline, sua família ou seus representantes. Esperamos que goste e volte sempre!
18.08.21

Por Lauren Puckett-Pope (18 de agosto de 2021).

Madelyn Cline se tornou uma estrela grande o suficiente para me ligar de um local que não tenho permissão para revelar. Ela desliga a câmera quando eu entrei no Zoom – “Estou uma bagunça, desculpe” – e quando começo a entrevista, suas respostas são inicialmente distraídas, até tensas, como se ela tivesse acabado de voltar para casa de um dia particularmente árduo no escritório. Claro, sua versão do escritório é o set de Knives Out 2, que ela está filmando “em algum lugar” no exterior, enquanto seu maior crédito até agora – o drama adolescente de sucesso da Netflix Outer Banks – ainda está classificado na lista dos 10 melhores programas da Netflix, semanas depois do lançamento da segunda temporada. Então, com certeza, as coisas não podem estar tão ruins.

Com certeza, o brilho característico que torna Cline tão adorada na órbita de seus colegas de elenco e fãs aparece em sua voz quanto mais conversamos. Suas respostas são frequentemente marcadas por risadas, e é uma risada fácil e despreocupada que ainda não absorveu o controle autoconsciente de seus colegas mais velhos de Hollywood. Aos 23 anos, Cline ainda está no precipício de sua carreira, mas ela admite que há dias em que ela sente que já está atolada no trabalho. Ela é a protagonista de uma das maiores histórias de sucesso da Netflix. Ela está no elenco de Knives Out 2, onde se juntou a titãs da indústria como Daniel Craig, Jada Pinkett Smith, Janelle Monáe, Kathryn Hahn e Kate Hudson. Ela está namorando sua co-estrela de Outer Banks, Chase Stokes, em uma história de amor vorazmente consumida por seus 16,5 milhões de seguidores (e isso só no Instagram.)

Criada em Goose Creek, Carolina do Sul, não muito longe de onde Outer Banks filma em Charleston, Cline sempre gostou de atuar, embora a ideia de trocar a Costa Leste pelo Oeste não lhe parecesse realista até passar seis semanas na Coastal Carolina University  Depois de desistir e se mudar para a Califórnia, ela só precisou de um ano para conseguir um papel em Outer Banks, e depois mais dois para o programa se tornar tão viral que sua voz se tornou uma tendência TikTok. A primeira temporada foi cheia de ação. A segunda temporada, em comparação, fez Missão: Impossível parecer manso. Ao longo dos 10 episódios, Cline fingiu levar um tiro, ela fingiu morrer na frente de Stokes, e ela fingiu ver seu pai fictício explodir em um barco à sua frente.

“A 2ª temporada foi muito difícil de navegar às vezes, porque foi um tipo de situação muito, muito louca e sem precedentes”, diz ela. “Isso aumentou os desafios – a diferença entre Sarah querer fazer parte de uma família que ela escolheu e precisar fazer parte dela. Portanto, tem sido uma coisa interessante de navegar e tenho feito o meu melhor. Eu não tenho nenhum tipo de experiência pessoal que eu possa me basear, obviamente.”

A experiência pessoal que ela pode extrair, no entanto, é a sensação de que sua vida está escapando um pouco do seu controle. Ela nunca teve que lidar com esse nível de atenção antes. E embora ela admita que ter uma plataforma constante pode ser exaustivo, também é uma aventura muito maior na vida real do que qualquer coisa que OBX poderia oferecer.

“Não sabíamos que as pessoas se conectariam tanto [conosco]”, diz ela sobre o elenco de OBX“Tento me concentrar fazendo atividades que me trazem de volta [à terra], mas a principal coisa que sinto é gratidão.”

Enquanto OBX continua a fazer ondas na Netflix e as filmagens de Knives Out 2 continuam, Cline falou à ELLE.com como foi sua jornada para as telas; como ela lida com o lado público de seu relacionamento com Stokes; e o que ela mais deseja para Sarah Cameron na terceira temporada.

O que a levou a largar a faculdade, se mudar para a Califórnia e iniciar uma carreira de atriz?
Minha agente do sudeste, ela também é uma amiga da família incrivelmente próxima. Ela sempre cuidou de mim. E ela continuou a me enviar para projetos, mesmo quando eu não estava fazendo nada. Eu estava me concentrando no ensino médio e tentando entrar na faculdade. E quando eu estava na faculdade, não estava necessariamente comprometida com o curso que estava cursando. Eu realmente queria tirar um ano sabático e viajar e aprender mais sobre mim. Eu não entendia o sentido de ir para a faculdade e gastar dinheiro se não soubesse e não estivesse totalmente comprometida com o que estava estudando. A oportunidade que se apresentou de me mudar para Los Angeles era muito mais atraente. Eu ainda gostaria de voltar [para a faculdade] agora que sei mais sobre mim e o que gostaria de estudar. Mas acho que foi mais algo do tipo: “Quero sair e tentar fazer isso, se puder. E se não der certo, tudo bem, mas eu gosto disso.”

Você mencionou em uma entrevista que a escolha de ir para Los Angeles era “tudo que seus pais não queriam que você fizesse”.
Honestamente, na época, eu era tão teimosa. Ainda sou incrivelmente teimosa, mas na época eu estava tipo, “Eu tenho esse ponto, preciso provar isso e vou fazer isso” – sem realmente pensar em como seria ser completamente do outro lado do país longe de minha família, algumas centenas de dólares distante para voltar ao meu sistema de apoio. Fiquei tão extasiada com a ideia de ir o mais longe que pudesse e ser quem eu queria ser. E meus pais são pessoas adoráveis, mas acho que eles tinham uma ideia diferente sobre o que eu faria da minha vida.

É como aquela cena em Almost Famous onde Frances McDormand diz, “Meu filho foi sequestrado por uma estrela do rock”. Acho que foi isso que eles imaginaram que estava acontecendo. Eles ficam tipo, “Puta merda. Nossa filha, nós a mandamos para a faculdade, ela deve estar bem, ela vai se formar. Ela vai ter um emprego seguro. E de repente ela está nos dizendo que está se mudando para LA? Tipo, o que aconteceu nas seis semanas entre o momento em que a enviamos e agora?”

Eu acho que olhando para trás, eu rio e todos nós rimos disso. É uma história muito engraçada. Na época, acho que foi definitivamente difícil. Mas eu era teimosa pra caralho.

Quais eram os filmes e programas de TV pelos quais você era obcecada desde cedo e que queria imitar quando começou a carreira em Hollywood?
Minha mãe e eu viajamos um pouco para Nova York quando eu era mais jovem. Ela me levava para a biblioteca, e eles têm uma coleção enorme de DVDs. Ela me levava lá, e eu precisava escolher três por semana. Assistimos muitos filmes antigos, como Splendor in the Grass e The Philadelphia Story. Abrimos nosso caminho através da história para filmes mais modernos.

Acho que ser exposta a isso desde muito jovem, fiquei tão fascinada por isso. E acho que foi quando eu soube que queria estar contando histórias de alguma forma.

Se você voltasse para a faculdade, estudaria cinema?
Eu definitivamente estaria interessada em ir para a escola de cinema. Também acho que seria fascinante obter um diploma em inglês, sociologia ou psicologia. Não sei se voltaria [para a faculdade] para atuar. Eu acho que [prefiro estudar] tudo sobre [atuação]. Muito do meu fascínio por histórias começou com o inglês – dissecando roteiros, livros e peças. E então eu acho que a escola de cinema seria legal, só para poder aprender esse lado.

Vamos conversar sobre Outer Banks. A primeira temporada foi uma aventura. A segunda sopra a primeira para fora d’água. Sarah leva um tiro nos primeiros episódios e quase morre na mesa. Como foi filmar aquela cena de ação, quando seu irmão atira nela?
Eu não tinha ideia de por onde começar. Eu fui para o Reddit. Eu fui a alguns tópicos do Reddit e procurei, “Você já levou um tiro? Como foi?” Porque eu não tinha ideia de como responder a essa pergunta sozinha. Então, essa foi minha primeira reação instintiva: “Vou para o site de um fórum”. A propósito, eu amo o Reddit. É fenomenal, mas estou divagando.

Algumas das respostas que recebi foram de pessoas sentindo, tipo, calor. Eles sentiram frio, e foi porque o tiro pareceu muito quente. Muitas pessoas disseram que ficaram chocadas. Então foi aí que começamos. Quando Sarah leva um tiro pela primeira vez, ela cai contra o caminhão e é como um choque estranho: “Ele acabou de atirar com a arma? Está todo mundo bem?” E então, alguns minutos depois, ela começa a sangrar.

Foi surreal filmar a cena com Chase onde Sarah está literalmente morrendo na mesa na frente dele?
Honestamente, eu estava realmente tentando fazer o que ele precisava naquele dia. Porque ele estava realmente carregando o fardo do trabalho. Eu estava literalmente me fingindo de morta. Eu estava tentando não respirar. Eu estava tentando não mostrar, tipo, meu peito se movendo muito.

Não foi surreal porque é uma daquelas coisas em que você está filmando 12 horas por dia. Você fica nisso bastante tempo. Mas é de partir o coração quando você tem alguém parado perto de você, chorando e com o coração partido.

É um desafio diferenciar sua relação na tela com o Chase daquela fora dela? Como vocês dois colocam limites para diferenciar a ficção da realidade?
Definitivamente, deve haver um equilíbrio e um limite saudáveis. Já falamos sobre isso antes: meu espaço de trabalho é muito importante e sagrado para mim e para ele também. Fazemos o nosso melhor para proteger isso. Portanto, sempre que há qualquer tipo de problema pessoal, especialmente entre nós dois, não o trazemos para o trabalho. Porque é uma distração.

E, sendo honesta, [estar no set] também é um momento muito divertido. Não é divertido sentir que o tempo no set foi afetado por qualquer outra coisa. Acho que navegamos muito bem. Na primeira temporada, todos nós começamos como amigos e estabelecemos isso a partir de uma relação de trabalho. E então, na segunda temporada, voltamos a isso como um casal.

Antes de pisar no set no primeiro dia, dissemos: “Ei, vamos falar sobre isso e estabelecer limites antes de voltarmos, porque há tantas pessoas que isso pode afetar”. E eu odeio isso. Eu não iria querer isso de forma alguma.

Você acha difícil namorar alguém que trabalha no mesmo projeto que você, que está atraindo o mesmo fandom que você? Ou essa experiência compartilhada aproxima vocês dois?
É bom porque vocês dois estão passando por isso ao mesmo tempo. Todos nós estamos, como um elenco, então é maravilhoso ter essa experiência compartilhada juntos, mas é especialmente bom que eu e Chase tenhamos passado por essa experiência juntos. Eu sinto que nos tornamos incrivelmente próximos por causa disso.

Você mencionou em outras entrevistas como parece que tudo está acontecendo para você ao mesmo tempo. Sua série é um grande sucesso. Você está filmando um grande filme. Você tem um grande número de seguidores sociais. Como você pode gerenciar tudo com graça?
Nem sempre sou perfeita. Tenho dias ruins, e alguns dias eu preciso dizer a mim mesma para dar uma volta no mundo real, porque tenho uma sorte incrível de estar onde estou. Eu sou muito, muito abençoada, e toda essa experiência tem sido um grande privilégio. Mas eu acho que, ao mesmo tempo, alguns dias você tem que ter uma conversa consigo mesma e ir dar uma caminhada e ficar tipo, “Ei, se toca”.

Acho que o importante é lembrar onde estava há alguns anos e pensar sobre o que aquela versão de mim pensaria sobre o que é a vida agora. Essa é sempre uma maneira muito boa de me centrar.

Eu sei que você não pode revelar nada específico sobre seu personagem em Knives Out 2, mas como foi trabalhar neste filme de alto perfil, filmar na Grécia, trabalhar com um elenco de estrelas?
Ai, meu Deus, fiquei tão intimidada. Mas também, novamente, também estou extremamente grata por ser trazida para esta família e por ter a oportunidade de ver como [o diretor Rian Johnson] trabalha e de poder colaborar com ele. Poder assistir a todos esses atores incríveis que eu cresci assistindo, poder assisti-los no set? Tem sido muito, muito surreal. Mas, além disso, não direi uma palavra.

Justo. Então, deixe-me perguntar o seguinte: vamos supor que OBX tenha uma terceira temporada. Se houvesse algo que você pudesse fazer acontecer para Sarah Cameron na próxima temporada, o que seria?
Eu quero que ela seja feliz. Eu quero vê-la encontrar a si mesma. Para mim, para o arco de Sarah, isso seria a coisa mais ideal para acontecer.

Eu quero ver ela e John B tendo que discutir o que acabou de acontecer. Quero ver o relacionamento pessoal dela com a família escolhida se desenvolver. Talvez pudéssemos obter alguma história de fundo sobre a amizade dela e de Kie. Talvez a veja tentar ir para o colégio Pogue. Talvez a veja tentando conseguir um emprego.

A 2ª temporada teve um ritmo incrivelmente acelerado, foi selvagem e muito divertida. E eu acho que se tivermos sorte o suficiente para conseguir a terceira temporada, eu quero mergulhar em algumas coisas do personagem e conhecer [Sarah] melhor.

Matéria: Elle.

disclaimer
O Madelyn Cline Brasil é um fã site não-oficial, sem fins lucrativos, e não possui qualquer ligação com Madelyn, sua família ou seus representantes. Todo o conteúdo aqui apresentado, tais como notícias, traduções e gráficos, pertence ao site a não ser que seja informado o contrário. Nós não reivindicamos direito de propriedade sobre nenhuma foto em nossa galeria, as mesmas pertencem aos seus respectivos donos e estão sendo usadas de acordo com a lei americana de Fair Use § 107.
Layout criado e desenvolvido por Lannie.D | Host: flaunt.nu