Seja bem-vindo ao Madelyn Cline Brasil, sua maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Madelyn Cline. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, campanhas e muito mais, além de entrevistas traduzidas e uma galeria repleta de fotos. Navegue no menu e divirta-se com todo o nosso conteúdo. Somos um fã site não-oficial, sem fins lucrativos e não possuimos qualquer ligação com Madelyn Cline, sua família ou seus representantes. Esperamos que goste e volte sempre!

postado por: madelynclinebr 03.12.21

Por Rya Vallabhaneni (2 de dezembro de 2021).

A atriz Madelyn Cline visitou Brown para uma conversa na Fashion@Brown na noite de quinta-feira. Cline, mais conhecida por seu papel como Sarah Cameron em Outer Banks, da Netflix, foi recebida por uma casa cheia de fãs ansiosos, engajados e entusiasmados.

As portas do evento – realizado no List Art Center – abriram às 19h. Às 19h03, não havia um assento vazio na sala.

A hora consistiu principalmente em uma entrevista com Cline, facilitada pela diretora de eventos do F@B, Natalia Brown, e seguida por uma curta sessão de perguntas e respostas com o público.  

Cline e Brown cobriram uma ampla gama de tópicos, focalizando principalmente as experiências de Cline nas indústrias de atuação e moda. Durante a conversa, a dupla também brincou e riu com a multidão. 

“Isso foi um arroto?” Cline perguntou a um membro da audiência. “Isso é incrível.”

Cline mergulhou primeiro em sua infância. Ela cresceu em Goose Creek, Carolina do Sul – uma pequena cidade que sempre pareceu um pouco apertada demais para ser confortável. 

“Ao crescer, sempre senti que havia uma fórmula para a vida”, disse Cline. Ela explicou que inicialmente buscou “algo mais” por meio da leitura de livros e peças de teatro, mas isso acabou não sendo suficiente. “Por que estamos aqui, nesta rocha flutuante, se não devemos seguir a ambição?” ela perguntou ao público.

E foi exatamente isso que Cline fez. Ela mergulhou de cabeça em território frio, decidindo se mudar para Los Angeles com apenas um contato conhecido. Ela conseguiu papéis em Boy Erased, Vice Principals da HBO e seu projeto mais famoso: Outer Banks. 

Cline descreveu o recente sucesso da Netflix como “uma espécie de carta de amor para onde eu cresci”. Afinal, foi filmado em Charleston – a apenas alguns quilômetros de sua cidade natal. Ela também descobriu que era capaz de conectar algumas das experiências de Sarah Cameron às suas, especialmente aquelas cheias de dúvidas, insegurança e noções de querer pertencer. 

“Eu não acho que a síndrome do impostor realmente desapareça”, disse Cline. Ela disse ter experimentado alguns desses sentimentos de não pertencer ali durante o verão, ao gravar a sequência de Knives Out. Mas Cline encorajou o público a se inclinar para a inevitabilidade da síndrome do impostor e reconhecer sua falácia, em vez de insistir nela. “Onde quer que você esteja, você deveria estar lá”, disse ela. 

Para conter sua própria energia nervosa, Cline freqüentemente a transforma em adrenalina. Estar no set, ela disse, “às vezes parece uma grande panela de pressão”. Seja coordenando com seu dublê ou perseguindo o último sol daquela tarde, sempre havia algo em que se concentrar.

Embora o guarda-roupa pessoal de Cline seja diferente do de Sarah (ela não gosta de saias jeans), assumir um estilo tão específico a ajudou a mergulhar ainda mais na personagem. Também a ajudou a conseguir uma colaboração com a Set Active – uma empresa de roupas dirigida principalmente por mulheres que deu a Cline a chance de trazer um pouco de sua criatividade para a moda.

Falando para a indústria da moda em geral, Cline comparou isso à atuação. “É como deslizar para outra pele, outro personagem”, disse ela. Ela vê ambos como formas individuais de expressão.

Mas quando se tratava de se expressar nas redes sociais, Cline descreveu uma “relação de amor e ódio”. Embora expressasse gratidão e amor por seus fãs, ela notou que alguns interpretam mal sua imagem, confundindo-a com sua personagem, Sarah, e esperando que ela aja como tal. “Às vezes, parece que seu único valor é por meio de um personagem fictício”, explicou ela.

Após a sessão de perguntas e respostas do público – que foi animada e incluiu um membro do público que presenteou Cline com um livro de poemas – Cline deixou a multidão com alguns conselhos. Ela encorajou todos a manterem uma “maravilha infantil” do mundo – algo que ela vê como necessário para qualquer arte. 

“Tenha paciência consigo mesmo e com sua jornada”, disse ela. “Nem sempre é linear.” 

Matéria: Brown Daily Herald